top of page

Post

Guia médico de sugestões protetivas para o retorno às atividades do futebol brasileiro

TERCEIRA EDIÇÃO – JANEIRO DE 2022 Material elaborado com a participação de Bráulio RGM COUTO, Eng, MSc, PhD. Diretor Administrativo – AMECI.

Este documento consolida as medidas protetivas para as competições da Temporada 2022 organizadas pela Confederação Brasileira de Futebol, segundo as mais recentes atualizações científicas para o enfrentamento da pandemia de COVID-19, em concordância com as normas estabelecidas pelas autoridades de saúde locais.

Introdução A Comissão Médica Especial da Confederação Brasileira de Futebol, no acompanhamento da evolução da pandemia de COVID-19 no Brasil, publica este documento com a descrição das medidas protetivas a serem adotadas pelos clubes nas competições coordenadas pela CBF, regulamentada pela Diretoria de Competições através da publicação da Diretriz Técnica operacional. A CBF reitera a adoção das medidas preconizadas pelas autoridades de saúde e contribui diretamente para que as atividades ocorram de modo responsável, seguro e ao seu tempo em cada localidade, sabedora do padrão de transmissão não homogêneo em todo o território nacional. Esta Comissão Médica Especial é responsável pela verificação e pelo controle dos certificados de vacinação contra a COVID-19 emitido pelas autoridades sanitárias do país, pela gestão de resultados dos testes RT-PCR e dos testes Pesquisa de Antígenos realizados pelos clubes, pela análise dos inquéritos epidemiológicos, além da implementação das medidas protetivas descritas. A Comissão Médica Especial da CBF é assessorada cientificamente por um Conselho de Infectologistas e Epidemiologistas. Estão consolidados neste documento aspectos vigentes da primeira edição do Guia Médico publicado em junho de 2020, da segunda edição publicada em maio de 2021, com aperfeiçoamentos e implementações a serem aplicados na temporada 2022. A redação deste documento e suas atualizações futuras são embasadas pelos mais recentes entendimentos científicos e respeita a devida liberação das atividades esportivas pelos órgãos responsáveis pelo controle e pela organização da saúde pública em nosso País.

Leia o guia médico na íntegra:

(Fonte: CBF)

Comentarios


bottom of page